Conheci o Tiago através de uma amiga há muito tempo. Na época, eu não dei muita atenção para esse moço. As músicas não tinham me conquistado, e o seu jeito também não era nada demais. Mas, ano passado, ao ouvir o seu álbum Troco Likes em um looping infinito, acabei descolando um crush fortíssimo neste homem. E que homem!

A cada selfie que ele posta no Instagram, meu coração dispara, tropeça e quase para com tanta beleza sendo mostrada, rs. E, de tanto eu falar, alguns amigos que nem sabiam quem era o tal moço, começaram a conhecê-lo e, por incrível que pareça, começaram até a torcer para que um dia nos encontrássemos. Risos, risão, risão eterno! (mas O SEGREDO pode ser real!)

Surgiu assim o shipp #nambiorc que carrego como nome de twitter com muito orgulho!

Hoje, verei esse homem ao vivo pela 2 vez na minha vida, e espero que assim como aquela noite lá no Beco, nossos olhares se cruzem naquilo que a gente chama de flerte fatal.

Não irei me prolongar mais sobre, só deixarei aqui as selfies mais maravilhosas dessa internet.

5.  Tiago e seu violão.
Nessa foto, ele estava afinando a viola. Eu queria ser essa viola. Posso ou não ter comentado isso.

13346242_10153437668051577_2409808783139646358_o

4. Subindo o morro
Rawr pra você também, seu lindo!

13247899_10153417276341577_4689766043685742120_o

3. Copiando o meu cabelo
Ai, Tiago!

13254883_10153415809781577_6235866947093121526_o

2. Molhadim
vamosimolhájuntim

12439088_10153169558891577_6138184915366540853_n

1. NÃO TENHO NEM PALAVRAS PARA ESSA
Talvez EITA.  

12359917_10153116417431577_8851979094235781770_n

E eu não posso deixar de mencionar este momento marcante, cujas nossas fotos e legendas combinaram no feed do Instagram, e eu juro que foi nessa ordem, não foi montagem:

12373217_10156397789845370_4183587270395941921_n (1)

COINCIDÊNCIA????? ACHO QUE NÃO!

Ps.: ele é o único homem possível que pode coque e regata, teje dito.

Não foi fácil admitir que eu precisava de uma ajuda externa para lidar com os meus problemas. Precisei de uma crise de raiva no meio da academia para que eu pudesse tomar vergonha na cara, e ligar para o número da terapeuta que a minha amiga havia indicado há tanto tempo.

Cheguei hoje no consultório um pouco mais cedo do que havíamos combinado. Aproveitei que estava adiantada e fui tomar um café antes de encontrá-la. Estava ansiosa, não sabia como a consulta seria. Assisti a alguns capítulos de Sessão de Terapia, será que é assim mesmo?

Quando cheguei na sala de número 42 (ah, a ironia da literatura!), eu não sabia onde sentar: na cadeira, no divã, no chão? Por fim, sentei no divã e fiquei de frente para a dra. Ah, que nervoso falar sobre mim, sobre coisas que me incomodam, sobre assuntos que eu nem sei se são relevantes assim. Meu Deus, o que é que estou fazendo aqui? E essa vontade de chorar? Uma caixa de lenços kleenex faz parte da decoração.

– Tem lenços ali em cima, se você precisar. – ela me disse

Não quero lenço, e tento não deixar escorrer nenhuma lágrima. Que vergonha, chorar na primeira sessão? Estou aqui só para saber como funciona e não já desabar em água. Apesar de ser de peixes, meu ascendente é áries e, olha, somos muito turrões! Segurei as lágrimas e continuei falando sobre mim, sobre trabalho, família e amores. Mas nossa, já falando sobre isso? Pois é.

A sessão foi rápida. Como ter tirado um band-aid de um machucado. Combinamos o preço e os dias que terei que retornar.

– 2 vezes por semana, ok?

– DUAS vezes por semana? (– e o trabalho? é longe demais! demorei 1 hora e meia para chegar, vou levar mais outra 1 hora e meia para ir embora? Meus pais vão me matar!).
– OK! – eu disse

Saí da sessão com a certeza de que foi a melhor decisão que eu pude ter tomado na vida. Não é fácil contar dos seus medos, problemas, desejos, para uma pessoa completamente estranha, mas as palavras saíram com tanta naturalidade, que eu sei que é disso que eu preciso, e olha que eu não sou muito de falar #instrospectivefeelings.

Todos que comentaram sobre isso, me recomendaram fortemente. Dizem que no começo é um pouco complicado, mas que com o tempo vai melhorando.

Senti uma enorme diferença na energia do dia de hoje, e estou ansiosa para os próximos que virão!

“quando é que você decidiu não ser notada?”

banner-BEDA

 

 

Falei sobre a Lista Infinita na minha primeira newsletter. E lá, eu contei que eu sou péssima com listas. Sempre achei o máximo, as pessoas que conseguem se organizar fazendo uma listagem do que precisam fazer na semana, no dia ou no mês. Eu, simplesmente, vou fazendo o que tenho que fazer, sem saber ao certo se é isso mesmo que tenho que fazer, rs.

Acho listas um charme, porque você tem ali tudo planejado, e vai riscando conforme a tarefa vai acontecendo. Mas né, isso não é para todo mundo, rs. Daí que eu descobri essa lista infinita – que, aliás, preciso atualizar a minha – e achei que ela seria muito útil para mim.

Essa lista nada mais é que uma lista para a vida. Você vai anotando tudo o que quer/precisa fazer ao longo dos anos que Deus ou o Universo lhe der, rs. E, conforme as tarefas forem cumpridas, é só riscar como em uma lista diária comum. A única diferença, é que você vai precisar de um caderno para fazer isso e, preferencialmente, colocar os anos conforme forem começando, para saber há quanto tempo aquela tarefa de “fazer um quarto escuro para revelar as fotos” ainda está lá, rs.

O que você achou dessa ideia de lista? Tem alguma outra para dividir comigo? Apesar de eu ser péssima com listas e organização, eu adoro esse tipo de assunto! :)

12479506_153249425049684_591254103_n

banner-BEDA

Toda vez que eu faço aniversário, tenho a mania de escrever sobre aquela idade que estou fazendo (se quiser ver os outros posts, é só clicar na tag aqui ao lado birthdaygirl). Esse ano, acabei não escrevendo nada, porque estava passando por uma fase um pouco esquisita. Fui deixando para depois, e depois, e depois, e nunca aconteceu. Pois bem, o texto, era para ter saído dia 23, que seriam os exatos seis meses depois, mas, novamente, não sabia o que escrever. Porém, aqui estamos, com essa pauta em aberto e algo a dizer.

28 anos. Lógico que é fácil acreditar que eu já tenha essa idade, porém, continua difícil me acostumar que estou mais perto dos 30 do que dos 20. Quando mais nova, pensava que aos 28 minha vida seria completamente diferente do que ela é hoje. E o que ela é hoje? Ainda acredito que eu tenha 15 anos e muita coisa não tenha mudado. Mas sabe? Muita coisa mudou sim! Chega ser um pouco difícil perceber isso. Talvez porque eu tenha essa ideia fixa de que nada muda, mas eu tenho que começar a olhar macroscopicamente do que somente o meu minúsculo mundinho.

Posso não estar casada, nem ter filhos e muito menos a intenção de formar uma família. Mas eu tenho uma coisa que eu sempre quis ter conquistado: a minha independência. O fato de ainda morar com os meus pais, não implica que eu não me sinta independente, muito pelo contrário. Eu tenho a total liberdade de ser quem eu sou, de pensar o que eu penso, e de seguir a minha vontade sem grandes implicâncias. Leio muitos relatos de meninas que não podem pensar o contrário dos pais, que se sentem manipuladas e num eterno conflito com a família, só por pensar diferente.

Na verdade, o fato de eu pensar um pouco fora da curva, faz com que eu traga certas discussões para dentro da casa. Acredito também que faz com que a minha família pense mais além do que somente a gente. Eu tenho essa liberdade de ser quem eu quiser ser, e isso é a melhor coisa que a gente pode ter.

Ter feito 28 anos não fez com que muita coisa externamente mudasse. Mas, de certa forma, eu me sinto um pouco diferente do que era antes. Gosto de dizer que a idade está chegando (e ela não está?), mas acho que estou fazendo um bom proveito dela! :)

Ps.: Pelo menos, estou fazendo as pazes com o meu cabelo!

wp-1472170571630.jpg

banner-BEDA

wp-1471975646926.jpg

Fui para ver um show do Tiago Iorc, quando elas subiram no palco e começaram a cantar. Eu estava sozinha, mas no meio daquela gente toda, e me deixei envolver pelas letras e melodias das músicas. Me senti um et porque eu não as conhecia, e parecia que todo mundo ali dentro estava cantando junto. Fiquei apaixonada, e fui logo procurar de quem se tratava. A partir daí comecei a seguir as meninas em tudo que é rede social, e cada vez mais me apaixonar pelo trabalho delas.

São amigas, de Araguaína, interior do Tocantis. O sotaque é uma delícia de ouvir. A vontade de usar o “tu” mesmo sem a conjugação correta é tão grande, que de vez em quando, acaba saindo por aqui, rs. Uma é Ana e a outra é Vitória, mas Tiago viu nelas um grande potencial de ser apenas uma. Assim surgiu Anavitória, tudo junto e misturado, em forma de letras e canções que fazem meu coração transbordar amor.

Recentemente, através de ajuda coletiva, elas conseguiram lançar seu primeiro álbum, disponível nas plataformas online e logo mais, sairá um disco físico. É a primeira dupla que a produtora do Tiago lançou, e ass meninas são tão boas que assim que o disco saiu, elas já assinaram com a Universal Music.

Deixo aqui uma das músicas favorita, e o álbum completo você pode ouvir no canal do YouTube! ;)

banner-BEDA

resumo3

 

Um. 
Esse batom da Nars se chama Damned, e eu estava louca atrás dele há tempos. Já tinha ido na Sephora umas 4 vezes procurá-lo, mas nunca tinha. Eis que neste sábado, encontrei o danado. Mal vejo a hora de usá-lo!

Dois. 
Dia 19 foi aniversário da minha mãe. Nós não temos muito costume de comemorar, no dia, os aniversários aqui em casa. Normalmente, fazemos uma festa na chácara para os aniversariantes do mês. Mas, nesse sábado, como saímos, resolvemos almoçar num lugar diferente. O restaurante escolhido foi o Almanara, restaurante de comida árabe. Para ser sincera, algumas coisas não valem a pena, como as saladas e a abobrinha recheada. Mas a entrada de homus e babaganoush é maravilhosa, além do kafta. E, quero voltar para experimentar o falafel (nunca comi!). De uma maneira geral, o restaurante é bom, apenas algumas coisas que não valem a pena mesmo. E foi bom conhecer algo novo para minha mãe! Esqueci de fazer a foto dos pratos antes, por isso que tem a foto dos pratos sem nada, rs. :)

Três. 
Eu estava morrendo de vontade de um Doce de Leite Latte da Starbucks. Check! :D

Quatro.
Comprei uma câmera nova. Uma Nikon D7200. Eu tenho uma D90, mas ela não filma em FullHD e isso me deixou um pouco frustrada, admito. Como a D90 já é uma câmera ultrapassada, resolvi investir uma outra (no tio coreano). Além de filmar em FullHD, ela tem a opção de wi-fi e time lapse! Não vejo a hora de testar! :)

banner-BEDA

1 – A capa mais bonita da sua estante.
Gosto de 2 livros cujas capas eu acho lindíssimas. 

wp-1471820953773.jpg

2 – Se pudesse trazer um personagem da ficção para a realidade, qual seria?
O nadador do livro Barba Ensopada de Sangue do Daniel Galera, porque eu, simplesmente, me apaixonei por ele. Um personagem misterioso, que passou por alguns problemas e resolveu se encontrar numa cidadezinha litorânea longe da cidade grande. Não dá vontade de conhecer e passar uma tarde junto?

3 – Se pudesse entrevistar um autor(a), qual seria?
Acho que seria Philip Roth, ou Daniel Galera. Apesar de saber que eu ficaria paralisada só de vê-los, rs.

4 – Um livro que você não leria de novo? Por quê?
Não Se Apega Não da Isabela Freitas. O começo do livro é até legal. Várias passagens que me identifiquei na época, e até mandava para uma amiga que eu sabia que também se identificaria. Mas no meio pro final, o livro começa a ficar sem sentido e termina pior. Fuén. (além de eu ter descoberto depois que a Isabela é uma youtuber, rs).

5 – Uma história confusa?
Cem Anos de Solidão do Gabriel García Marquez. Se você acha que GoT é confuso por ter muitos nomes, você já tentou ler Cem Anos de Solidão? Rs. Mas adianto que o livro é maravilhoso! <3

6 – Um casal?
Cauby & Lavínia de Eu Receberia as Piores Notícias de seus Lindos Lábios – Marçal Aquino

7 – Dois vilões (pode ser tanto 2 vilões que goste, como não goste).
Acho que o Severo Snape se enquadra na categoria vilão, certo? Ou não? Haha. Não sei. Mas considero Snape a mãe da Carrie de Carrie, a Estranha.

8 – Um personagem que você mataria (ou tiraria do livro).
Poxa gente. Eu, realmente, não sei.

9 – Se pudesse viver em um livro, qual seria?
Já falei sobre isso nessa TAG aqui, mas deixo aqui o Barba Ensopada de Sangue porque eu fiquei morrendo de vontade de conhecer Garopaba depois de ter lido!

10 – Qual o maior e menor livro da sua estante?
O maior acredito que seja o Harry Potter e a Pedra Filosofal ilustrado. E o menor, acho que seja E Foram Todos para Paris.

banner-BEDA

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.042 outros seguidores