arquivo

Bordas

Não foi um churrasco às 2 da madrugada, depois de um barzinho fiasco no Tatuapé, mas foi um feriado programado que deu super certo e conseguimos matar as saudadinhas. Podemos ficar sem nos falar quase o ano inteiro, mas no final de ano, temos que ser bregas e manter a tradição. Hahaha

Essa quinta-feira foi um desses dias que eu me senti infinito!

Foto: Renan

Foto: Renan

Foto: Renan

Passei para os 15 anos sem sentir diferença alguma. Com os 18 a mesma coisa. Os 21 não foram diferentes. Engraçado que com os 24 eu já sinto um peso que não sentia antes. Não estou falando de “velhice”, porque isso eu sinto desde sempre, mas de amadurecimento, responsabilidades, coisas que posso e não posso fazer, já que eu consigo julgá-las certas ou erradas com os meus princípios. Apesar de quê, estou lutando com alguns para que desapareçam, porque nos tempos de hoje, se eu continuar com alguns princípios antigos que eu tinha, não vivo nem metade da minha vida que eu tenho para viver.

Hoje, viro para minha mãe e falo “mas plmdds! eu já tenho 24 anos!”, coisa que antes não fazia, porque eu não sentia diferença. Eu sei que para ela não importa a idade, posso ter 40 anos, ela vai achar muitas coisas que eu faço erradas, não vai querer eu faça tantas outras e por ela, eu estaria em casa toda noite etc etc. Eu entendo tudo isso muito bem, afinal, sou a caçula de três filhos, mas tem uma hora na vida que a gente tem que tomar certas decisões mesmo que isso implique em desapontar algumas pessoas que te amam incondicionalmente, e decepções, por mais que sejam decepções, sabemos que superam, agora a agonia de perder oportunidades de se divertir e viver a vida como você julga melhor vivê-la, não há tempo que supere.

Um dia antes do meu aniversário, eu já estava pensando no ano que vem: 25 anos! E foi aí que me dei conta de que eu já não sou mais uma adolescente, uma criança. Por mais que eu já tenha um diploma há 2 anos – o qual ainda se encontra na faculdade – só agora eu consigo sentir essa “diferença” na idade, parece besteira, mas eu acho que, agora, consigo encarar  muito mais algumas coisas e ter mais coragem para enfrentar outras, coisas que eu “deixava pra lá”, para agradar os outros e não a mim mesma, enfim.

Tô gostando dessa sensação que os 24 têm me trazido, mesmo que o meu aniversário tenha sido há 5 dias, eu já acho que comecei essa nova ~temporada~ da minha vida muito bem! Pela primeira vez em mais de 10 anos, eu e a Lari saímos para comemorar. Vários amigos apareceram o que me deixou muito feliz! Eu amo fazer aniversário,  mas esse tá com um toque especial, que legal! :)

Lembram da cena da taverna que eles brincavam de adivinhar quais personagens cada um era através de perguntas específicas?

Como bom nerds que somos, cof cof, brincamos disso até dar 5 horas da manhã e como não podia deixar de faltar na praia também, por que não?

Eu fui Maluf, Penélope Cruz, Jô Soares, Christian Pior e acho que mais Jorge Vercilo. Estes dois últimos eu não adivinhei nem com reza braba! Mas teve personagens como PC Siqueira, Eliza Samudio, Rita Cadillac, Kurt Cobain (é novo, mas a banda é velha? Pode isso, Arnaldo?), Richarlyson, Zé do Caixão, Felipe Dylon, JackEY Chan, CALTON (who?) Banks e não podia deixar de faltar o “Renan Perdido”! Hahahaha

Brincadeira sensacional! :D