arquivo

Arquivo mensal: maio 2015

Eu tenho esse colar cujo pingente é um olho grego. É uma bijuteria comprada pela minha mãe na perfumaria, mas de alguma forma, me apeguei a ele. O valor é bem mais sentimental e simbólico do que de dinheiro, tanto que ele tá todo zuadinho, mas eu não gosto de ficar um dia sem. Hoje, ao pegar a Enriqueta para levar no veterinário, ela, com toda a sua estripulia na hora de pôr a coleira, acabou quebrando o colar. Na hora eu só respirei fundo e o coloquei no bolso. Naquele momento eu pensei que algo podia dar errado, que muita coisa podia desandar na minha vida daquele instante em diante. Tantas vezes que eu coloco a coleira na Enriqueta e justo hoje ela consegue me quebrar o colar.

A semana está sendo de nervos a flor da pele. Algumas mudanças estão por vir, e exames e resultados para fazer, entre mãe e bichos. Meu coração tá apertadinho e angustiado, e com o colar quebrado eu só pensava que o pior está por vir. Coisa besta, eu sei.

Deixei a Enriqueta no veterinário para arrancar uma verruguinha que nasceu no peitinho dela. As notícias podem não ser muito boas e saí aos prantos (mesmo sem certeza do que pode ser) porque, infelizmente, eu cresci condicionada a sempre pensar no pior. Estou tentando mudar esse tipo de atitude, porque não é nem um pouco saudável e eu sei que só atrai coisa ruim mesmo.

Cheguei no escritório e fiz o que tinha que fazer. Já um pouco mais calma, peguei o colar e tentei consertar. 1, 2, 3 vezes sem sucesso. Até que magicamente consegui colocar pelo buraquinho minúsculo a argola para fechar, e apertei o máximo que consegui. Pronto! Novo em folha para ser usado. Uma esperança!

Na hora do almoço liguei pro veterinário e a cirurgia da Enriqueta ocorreu tudo bem, e ele acha que não vai ser nada de ruim. Agora à noite, minha mãe recebe a ligação do resultado de alguns exames e está tudo ok, conforme tem que ser, faltam alguns outros para certeza, mas tenho fé e certeza que tudo, tudo vai melhorar.