arquivo

Arquivo mensal: abril 2015

Já faz mais de 1 mês que eu completei 27, e algumas semanas que eu estou com uma amidalite que não sara, mas também não dói. E é muito estranho eu não fazer mais parte dos vinte e pouquinhos e estar quase nos trinta e muitos. A faculdade já terminou há tempos, a escola esse ano faz 1 década do ~terceirão~, e eu estou com mais cabelos brancos do que gostaria. Além dos cabelos brancos, eu tô com miopia e astigmatismo. Pra quem se orgulhava da visão 100% perfeita de quando era criança, é um desespero ver que os graus só estão aumentando.

Comer batata frita já não é tão empolgante como antes, porque eu só fico imaginando aquelas gorduras depois localizadas nos meus culotes e joelhos, fazendo com que calças jeans não entrem ou fiquem horrivelmente agarradas. Academia não faz parte da rotina, mas existe a culpa sem fim por não fazer o meu corpo se exercitar. Troco qualquer balada por uma noite em casa, com filmes, vinho ou aquela cerveja com canela e frutas vermelhas.

Tenho tomado alguns sucos detox quando eu lembro, e tô tentando fazer da salada uma refeição diária e noturna. Por mais que muitas coisas tenham mudado com o tempo, eu ainda não consigo me sentir como uma adulta. Aquela adulta que eu via em minha irmã quando ela tinha essa idade. Eu ainda me sinto com 15 anos, mas sem a parte das férias e poder ficar jogando The Sims a tarde inteira. Mas tô aqui, com 27, quase 30. Lidando com RH da empresa, contas a pagar e coisas que eu nem sei direito o que são. Eu só sei que esse ano não pode continuar como foram os outros, porque senão, eu vou surtar, já que o que vejo são os anos passando e eu aqui, ainda aqui.

Mas como disse alguém no twitter eu só quero a minha casinha com varanda, um emprego legal, o amor, três cabeludinhos, muitos peludinhos e árvore pros passarinhos. No momento, eu só tenho muitos peludinhos, e espero que um dia, ainda consiga ter tudo isso. <3

10995747_10155423815765370_7827017799987762220_n

Anúncios