arquivo

Arquivo mensal: março 2014

 Post para a Blogagem Coletiva do Rotaroots. Grupo no Facebook que reúne blogueiros com saudades da época dos blogs diárinhos. Esse post foi uma indicação da Paloma, inspirado numa ideia que apareceu no Hypeness.

Há algumas semanas foi seu aniversário de 26 anos. VINTE E SEIS ANOS, dá para acreditar? Eu sei que você ainda sonha alto, e é um pouco revoltadinha com a vida, mas calma, as coisas vão se ajeitar. Não do jeito que você pretende, mas de um jeito bom, que você vai gostar, fica tranquila! ;)

1112573453_f

Eu sei que você está doida para ser um pouco mais independente, e isso vai ser terrível quando você estiver na faculdade. Se eu pudesse voltar no tempo, eu faria você fazer cursinho e ter mais certeza do que quer da sua vida, do que apenas se livrar da escola e entrar logo na faculdade, mas né, não tenho esse dom.

Você não vai manter nenhuma amizade da escola, quer dizer, as meninas com quem você anda, não vão mais falar com você depois. Umas porque a vida se encarrega disso, outras porque você vai decepcioná-las. Pois é. Mas, sabe aquele pessoal legal que você acha o máximo? Você vai se tornar amiga deles depois da faculdade, e quando eu falo amiga, eu falo muito amiga, de fazer amigo secreto no fim do ano, e encontros esporádicos nos aniversários. <3

Ah, você ainda vai manter o seu amor platônico. Aquele dos 15 anos. Aquele  que ainda vai te fazer ficar doida durante uma viagem. Você vai se acostumar com isso, e vai levar pra vida e dizer “oh, well”.

1098835802_f 1096229484_f

A sua faculdade não vai ser o máximo. Você só vai 1 vez no JUCA e vai detestar cada minuto, haha. Você só vai porque quer ver qual que é disso. No último ano da faculdade, você vai estar de saco cheio, e só quer que ela acabe, e de lá não vai levar nenhum amigo. Sad, but true. Mas lá você vai conhecer alguém, que vai te ensinar o que é o amor. Ele vai ser um filho da puta, você vai chorar muito, mas você também vai aprender muito. Você também não vai ser muito fácil, você não é fácil, aliás. Mas, no fim, as coisas não passarão de uma lembrança. Não vou dizer boa, porque só você sabe o que passou, mas serão lembranças. (ps. você vai sobreviver!)

1139964775_f 1157163996_f

O seu fotolog vai ser deixado às moscas, mas você vai blogar com mais 2 amigas num blog “famosinho” sobre fotografia, e vai ser uma das melhores coisas que já te aconteceu! Aliás, a Lari vai ser pra sempre, tá? <3

Você vai gostar de cerveja. E vodca. E tequila. E rum. Você vai beber uma cuba livre com o seu pai e vai achar isso o máximo. Você vai continuar achando que todas as cervejas têm o mesmo gosto, mas vai preferir as artesanais, porque seu estômago não vai doer no dia seguinte. Você vai ficar bêbada, e vai ser legal. Você vai vomitar em algumas festas, e vai ser legal. Você vai gostar de ficar bêbada, porque fica falante, e isso vai ser legal, haha.

1129772883_f

Mas você vai dirigir. Finalmente! Vai demorar um pouco, será um processo um pouco penoso, porque você vai ter medo, mas vai enfrentar esse medo e vai conseguir dirigir um carro. Daí sempre vai ser um dilema para sair (de carro ou de ônibus? beber ou não beber? tequila or not tequila?).

Nossa, você também vai fazer uma tatuagem! Hahaha. Vai te dar a louca e vai fazer uma tatuagem, a única até os seus 26. Você vai ter vontade de fazer outras, mas não vai saber o quê exatamente, e assim vai ficando, com só 1 marca pelo corpo (e as várias cicatrizes no coração, porque você vai ser dessas de seeeempre fazer um drama! hahahaha).

Vai ter também uma 2 faculdade. Do jeito que você queria. Mas você não vai seguir nenhuma dessas profissões. Você vai parar na fábrica. E acredite se quiser, vai acabar gostando disso. Seus amigos te chamarão de “a rainha das coxinhas”, e você não vai mais ligar de no final do dia, ficar cheirando a fritura. A gente aprende, sabe?

Você vai viajar também. Vai cruzar o oceano e ficar 2 semanas fora de casa, haha! Quem diria. A mãe até incentivou!!! E por falar na mãe, vai ser ela que sempre vai te incentivar a fazer as coisas. E você vai fazer e mover mundos por ela.

Terão milhares de redes sociais que não só o Orkut. E você vai odiá-las depois. Vai querer deletar tudo, e viver num mundo mais offline. Talvez isso seja a idade, talvez o momento. Sei lá. Mas você vai conhecer muita gente linda e querida. Sim, Natália, você vai estar rodeada de amigos, não duvide. ;)

Te garanto que a vida não vai ser ruim, menina. Você vai se decepcionar e vai decepcionar outras pessoas também. Vai aprender que você não é (e nem tem como) ser perfeita. Vai saber quem deve ficar e quem deve ir embora. Vai engordar um pouquinho, mas não vai surtar por causa disso. Vai ter que usar óculos (!!!). O seu cabelo vai ficar bom, principalmente aos 26! Vai aprender a gostar do seu sorriso, e sempre vai sorrir para as fotos. Você vai se orgulhar de quem você se tornará. Pode parecer ruim por um tempo, mas as coisas se ajeitam sim, e o mundo vai ser tão pequeno para os seus sonhos, que o céu não vai ser o limite.

1176423834_f

Deu uma acumuladinha nos posts, mas seguem os filmes desses últimos meses:

The Spectacular Now

Quando eu vi o trailer achei que esse filme seria mais um daqueles para a listinha dos favoritos e bonitinhos, porém: não. Achei chato e entediante. O personagem principal não me cativou, e achei a namoradinha um pouco tonta demais. Eu quero ler o livro, quem sabe seja melhor.

spectacularnow

The Hunger Games: Catching Fire

Queria ter assistido no cinema, mas o preço do ingresso e as filas me desanimaram. Esperei uma qualidade boa, e quando isso aconteceu, meu querido Philip Seymour Hoffman se foi. Nossa, como eu fiquei triste aquele domingo. PSH é um dos meus atores favoritos, e quando soube que ele estaria na saga de Jogos Vorazes eu fiquei tão feliz e com a certeza de que os filmes seriam promissores. Para mim, se um filme tem PSH, eu já sei que é bom. Eu poderia ter gostado bem mais do filme se não fosse esse fato. Fiquei com um nó na garganta e uma tristezinha quase o filme todo, o que é ruim, porque eu não consegui aproveitar. Mas no geral, o filme é bem bom sim, se é tão bom quanto o livro, ainda é difícil de dizer, mas estou gostando do rumo que os filmes têm tomado.

catchingfire

About Time

Quando todo mundo estava assistindo e comentando sobre esse filme, eu não estava com muita vontade de ver. Sei lá o motivo, apenas besteira minha. Mas aí, quando eu assisti, entendi o motivo de tanta gente comentando. Aff maria, que filme lindinho. Eu amei demais e me apaixonei pelos personagens. Agora, eu tenho um ruivo na minha lista de atores que eu pegaria (por isso que eu não posso plastificar essa lista. Ross Geller me entenderia). A história do filme é curiosa, e achei até muito bem contada. Fiquei com algumas dúvidas, mas se tornaram irrelevante devido ao grau de fofura e amor que eu peguei por esse filme, haha. Infinitos corações, uma versão em Blu-Ray  na estante e Domhnall Gleeson na minha cama, por favor.

aboutimemuito amor por essa cena <333

Her

Estava louca assim como metade do planeta hipster para assistir a esse filme, porém: meh. Por incrível que pareça, eu não me identifiquei tanto assim com o Theodore, e meu Deus do céu, até somente com a voz a Scarlett consegue ser chatinha (hehe). Mas é um Spike Jonze e o cara manda demais, claro. O filme dá uma assustadinha, do tipo “que louco se apaixonar por um sistema operacional, que triste, que forever alonismo”, mas sabe, gente, tá difícil de encontrar pessoas que se interessem por você, que as conversas durem mais que 3 assuntos, que te mandem mensagens perguntando sobre o dia e etc. Talvez não seja tão louco se apaixonar por algo/alguém que te dê alguma atenção, né? (qqeutôfalando?)

her

Enough Said

Tinha para assistir no avião, mas como não tinha legenda (nem em inglês), marquei para ver em casa. Ah, é um filminho água com açúcar, nada demais, e é gostosinho para passar as horas, só. Gosto da Julia Louis-Dreyfus, e me lembrou um pouco da personagem de Old Christine, mas ela não está tão maluca quanto, haha.

enoughsaid

Blue Jasmine

Merecidíssimo Oscar para Cate Blanchett. O filme todo é só ela. Woody Allen acertou na sua protagonista e, por favor, faça mais um filme com ela. A história não achei muito interessante, e é mais aquele clichê de crises e existencialismo, mas gente, gente, GENTE. Assistam pela Cate Blanchett!!

bluejasmine

E chegou o momento que me via morando sozinha, em um apartamento de janela grande no Centro de São Paulo. Solteira (porém namorando). Workaholic numa agência grande de publicidade, e cheia de festas para frequentar. Com amigos em casa o tempo inteiro, e essa vida de gente cool.

Aos 16 anos eu tive que responder “Como é que você se vê daqui a 10 anos” e, basicamente, essa foi a minha resposta.

E não, nada disso acontece, e não vejo a possibilidade de acontecer (tão cedo). Com certeza, não estou levando a vida que eu queria aos 16, mas as minhas escolhas têm me mostrado que eu estou indo para o caminho certo, e sendo mais autêntica a mim, do que a esse padrão criado pela sociedade.
Às vezes, bate a crise, me sinto loser, e essas coisas, mas quem não se sente, não é mesmo? Ninguém é 100% perfeito o tempo inteiro e etc.

Eu tenho feito as minhas conquistas, sejam elas diárias, sejam ao longo prazo. Podem não ser grandes, mas são o suficiente para mim. Achava que eu era madura aos 24, mas até que os 26 têm se mostrados diferentes, e eu tô gostando disso.

1921191_10153902215035370_630232354_o