arquivo

Arquivo mensal: dezembro 2012

… mas não se fecham os livros.

2012 foi, definitivamente, o ano das páginas viradas, porém, não de livros fechados. Eu sempre gostei muito de anos pares. 94/00/06 e até o assombroso 2010 foram anos marcantes que, de alguma forma, fizeram com que eu crescesse pra vida. Mas, ainda não sei o que dizer de 2012, se gostei ou se foi apenas mais um ano.

Digamos que foi um ano de superação. Superei traumas e pessoas. Revi conceitos e amizades que, de alguma forma, já não faziam mais sentido em mantê-las. Terminei o curso de fotografia que pensei que não ia terminar. Conheci lugares e viajei de avião. Apaixonei, frustrei, perdi. 2012 não foi o ano do amor. 2012 foi o ano dos critérios, haha.

O que me deixa mais nervosa em relação a 2012 é o fato de não se fecharem os livros. Histórias antigas que ainda insisto em mantê-las vivas na memória. Assombros e fantasmas. Sonhos e decepções. Eu já não aguento mais.

Para 2013 não sei o que esperar. Talvez mais surpresas, menos babaquice, mais paciência e tolerância. Ser melhor para o mundo, e não que o mundo seja melhor comigo. Acordar cedo, praticar algum exercício, sair mais com os amigos, ler mais, ouvir mais música, assistir mais filmes, ir ao cinema, ao parque e a restaurantes bacanas. Viajar para a praia sempre que possível, e viajar para o mundo, por pelo menos 1 semana. Mas acho que o que eu mais quero, anseio e desejo é que se fechem os livros e novas histórias comecem. Já que o mundo não acabou em 2012, tá mais do que na hora escrever novas páginas numa capa nova em folha.

Que 2013 comece, e traga o que 2012 não conseguiu trazer.

natalia1

Anúncios

Segue a lista:

Livros

– Melancia (Marian Keyes)
– A Culpa é das Estrelas (John Green)
– Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios (Marçal Aquino)
– As Vantagens de Ser Invisível (Stephen Chbosky) ebook
– Jogos Vorazes (Suzanne Collins)
– Em Chamas  (Suzanne Collins)
– A Esperança  (Suzanne Collins)
– E Foram Todos Para Paris (Sérgio Augusto) esqueci de colocar na foto, hehe

livros

Filmes

Toda Forma de Amor (Mike Mills)
– O Menino do Pijama Listrado (Mark Herman)
– 50/50 (Jonathan Levine)
– 30 Minutes or Less (Ruben Fleischer)
– Super 8 (J. J. Abrams)
– Contágio (Steven Soderbergh)
– Missão Madrinha de Casamento (Paul Feig)
– Os Descendentes (Alexander Payne)
– Histórias Cruzadas (Tate Taylor)
– Amor a Toda Prova (Glenn Ficarra, John Requa)
– Os Smurfs (Raja Gosnell)
– O Homem que Mudou o Jogo (Bennet Miller)
– Sherlock Holmes: O Jogo das Sombras (Guy Ritche)
– Tudo Pelo Poder (George Clooney)
– As Coisas Impossíveis do Amor (Don Roos)
– Cavalo de Guerra (Steven Spielberg)
– Hugo (Martin Scorsese)
– Tão Forte Tão Perto (Stephen Daldry)
– O Artista (Michel Hazanavicius)
Inquietos (Gus Van Sant)
– A Separação (Asghar Farhadi)
Loucamente Apaixonados (Drake Doremus)
– Millenium – Os Homens que Não Amavam as Mulheres (David Fincher)
– Sete Dias Com Marilyn – (Simon Curtis)
– As Aventuras de Tintim – Steven Spielberg
Medianeras: Buenos Aires na Era do Amor Virtual (Gustavo Taretto) ♥
– Mobília Mínima (Lena Dunham)
– O Noivo da Minha Melhor Amiga (Luke Greenfield)
– Atribulações de uma Caixa de Supermercado (Pierre Rambaldi)
– Amor ou Consequência (Yann Samuell)
– Românticos Anônimos (Jean-Pierre Améries)
– Distante Nós Vamos (Sam Mendes)
– Feliz Obrigado Mais Por Favor (Josh Radnor)
– Garota Fantástica (Drew Barrymore)
No Espaço Não Existem Sentimentos (Andreas Öhman)
– O que Esperar Quando Você Está Esperando (Kirk Jones)
– Jogos Vorazes (Gary Ross)
– Rio (Carlos Saldanha)
– Moonrise Kingdom (Wes Anderson)
– Intocáveis (Eric Toledano, Olivier Nakache)
– Ruby Sparks (Jonathan Dayton, Valeria Faris)
– Para Roma com Amor (Woody Allen)
– 360 (Fernando Meirelles)
– O Espetacular Homem Aranha (Marc Webb)
– As Vantagens de Ser Invisível (Stephen Chbosky)
– Malu de Bicicleta (Flávio R. Tambellini)

Tá bão? Vamos ver ano que vem! ;)
Livros e filmes foram tirados dos registros que fiz no Filmow e Skoob

Todo esse bafafá e mimimi do Instagram/Facebook me fez frear um pouco no dedo nervoso na hora de compartilhar as coisas. Eu já havia me cansado das redes sociais tem um tempinho. Há umas semanas protegi a minha conta no Instagram e Twitter, e tenho moderado em quem pode visualizar minhas coisas no Facebook. É lógico que o Instagram/Facebook não vão vender minhas fotos da Enriqueta ou dos meus pratos de comida, e é claro que a internet está cheia de portais e etc que podem fazer o mesmo que o Instagram quer fazer, o grande problema é como um texto “””mal redigido””” e “””mal interpretado””” por tantas pessoas pôde causa um desconforto tão grande, e foi assim que aconteceu comigo. Eu adorava o Instagram e confesso para vocês que só comprei um iPhone por causa dele, mas assim como todas as outras redes eu acabei bodiando (apesar do overshare) e ontem, com tudo isso, foi o que faltava para tentar viver um mundo mais offline.

Ainda vou continuar usando o celular para tirar fotos, os outros aplicativos para colocar os filtros e, quem sabe, começar a postar no Blog, com mais calma e com algum tema em específico, sei lá. Começar a imprimir mais minhas fotos e fazer algum projeto. As coisas não têm sido fáceis quando o assunto é fotografia por aqui. Uma pausa também não deve fazer mal a ninguém.

8146252412_20e71923f0_b