One Day

Whatever happens tomorrow, we had today

“One Day” foi indicação da minha prima, que viu nas internets que era um novo filme da Anne Hathaway baseado num livro, escrito por  David Nichols – roteirista do filme também – e se interessou pela história. Eu, como boa pisciana, é claro que também me interessei e tratei de comprar logo o livro. Enrolei, claro, mas terminei antes de o filme estrear ~ nos cinemas~.

Lindo. Lindo. Lindo. Acho que gostei tanto por ter me identificado muito com a história, com a Emma, com o Dexter. Porque assim, querendo ou não, eu tive um Dexter na minha vida, só que…errr…mais babaca que o do livro, enfim.

O romance conta durante 20 anos a história de Dex e Em, a partir do dia que se conheceram, no último dia da faculdade, mais precisamente na formatura – 15 de julho de 1988. Eles não sabiam o que esperar do futuro, não tinham certeza se continuariam se vendo, se falando, ~ mantendo contato ~, mas viveram aquele dia, o dia de São Swithin, como se fosse o único dia que se veriam. Mas, como os romances só existem em livros, é claro que se telefonaram e construíram uma linda amizade ao longo dos anos. Encontravam-se todo dia 15 de Julho, mas se falavam sempre, por cartas lindamente escritas pela Emma, ou por telefonemas rápidos dados pelo Dexter. Tornaram-se melhores amigos, e lindos. Dex e Em, Em e Dex. Identifiquei-me não somente pela amizade dos dois, mas pelas frustrações, inseguranças, medo do futuro e de não saber se as coisas dariam certo ou não. Quem nunca, né mesmo?

Mas, a vida acontece, as pessoas mudam, ou não, amadurecem, ou não, e só percebemos quem, realmente, é importante para nossa vida depois de muito tempo, ou não haha. O livro, é claro, é bem mais intenso que o filme. Tem mais história, mais vida, mais caos, mais casos, mas menos choro…haha. Apesar disso, achei o filme lindo. Não dava para colocar os 20 anos detalhadamente em 1h30min de filme, mas achei que, para quem não leu o livro, talvez ficasse meio perdido no filme até entender, de fato, como o relacionamento dos dois funcionava. De qualquer forma, eu chorei horrores, desde o começo do filme, porque né… como alguém disse no fórum do filmow que, pelo fato de ter lido o livro, o contato com as personagens parece ser mais intenso, e é!

Eu amei One Day, eu amei o Jim Sturgess e estou apaixonada por ele. Quem não ficaria? Todo britânico, todo lindo, todo…todo…aiai. E Anne, apesar do sotaque um tico forçado, para mim, está fantástica. Tá linda. Tá amor!

Só tenho uma dica, se você assistiu Blue Valentine, odiou porque ficou mal por dias, não assista One Day, ou assista, vai que né…

Ah! E o livro saiu agora com a capa do filme, né, e eu não gosto muito de livros com capas de filme, mas essa tá linda, e eu quero! :B

Anúncios
1 comentário
  1. Rachel disse:

    Ai, deixa eu tomar ar pra comentar.. sou dessas que fica mal, mal por dias. Fiquei chocada com o filme, chorei tanto (até o Rodolfo chorou comigo um pouquinho, bem pouquinho) que quase desfaleci. Sou meio sentimental demais. Tirando toda essa deprê inerente da vida, o filme é absurdamente lindo! Ô filme lindo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: