arquivo

Arquivo mensal: abril 2011

“Passamos quatro noites naquele quarto. Contando pintinhas, catando cabelos, alisando sobrancelhas, deslizando o dedo em dobrinhas, procurando ler as retinas, conhecendo as orelhas, escutando a barriga roncar, roendo cutículas, ouvindo os tons que nossas vozes alcançavam, procurando chiados nos peitos e escutando as batidas dos nossos corações. “

Malu de bicicleta
(Marcelo Rubens Paiva)

acho que isso não está fazendo bem pra mim…

Anúncios

Domingo de Páscoa foi dia de a família Nambara ir até em casa almoçar. Coisa rara, porque isso quase nunca acontece. Eu resolvi fazer uma sobremesa, então. O tão famosinho petit gateau que todo mundo conhece e que, durante uma época aí, era como se fosse os cupcakes de hoje. A receita que eu tenho foi um amigo que me deu, lá pelos os anos de 2005. Faz tempo, pensando bem. Mas ela é super fácil, rápida e dá pra matar a vontade. SIGAM-ME OS BONS:

Ingredientes:

– 6 ovos

– 200g de manteiga

– 1 barra de chocolate meio amargo (200g)

– 30g de farinha de trigo (sim, só 30g)

Modo de Preparo:

Derreta a barra de chocolate e a manteiga em banho maria. Agora PRESTENÇÃO, enquanto o chocolate derrete, bata na batedeira 3 ovos inteiros e 3 gemas (isso mesmo!). Após derretido, misture o chocolate e a farinha com os ovos e bata até ficar homogêneo. Unte forminhas pequenas com manteiga e farinha e deixe cozinhar em forno BEM QUENTE por +/- 7 minutos.

DICA: o bolinho tem que cozinhar nas bordas, se você olhar enquanto estiver no forno e perceber que as bordas estão firmes, mas o meio dele está molinho, este é o ponto certo para que fique “cru” no meio e saia todo aquele chocolate de dentro do bolinho.  Tem que comer quentinho e com sorvete, claro.

Rende 11 bolinhos (mas isso depende do tamanho da sua forminha). 

Deram-me um cd (sim, cd) e eu nem tinha reparado que era presente. Achei que era assim, só para ouvir e depois devolver, mas não, foi presente. Há quanto tempo não se dá de presente um cd? Coisa mais nostálgica e antiga e a melhor coisa do mundo essa. Ganhei um cd. Não foi uma mixtape, nem um cd de mp3, foi um cd de um cantor brasileiro, com direito a capa (maravilhosa) e tudo mais. Eu voltei ouvindo o cd inteiro, tô indo ouvindo o cd inteiro. É tão bom que não dá vontade de parar.

– Você não é impulsiva.
– E é isso que não gostas em mim.
– Você podia mudar.
– Você podia mudar!
– Nós dois já mudamos. Casa comigo?
– Quantos anos tem sua mente?
– 13!
– Pois bem, quando crescer a gente vê.

Minha tia liga, nos chamando para um jantar na casa dela neste sábado. Minha mãe diz para mim:

– Vamos na sua tia Deva, sábado?
– Ah, vamos.
– Mas acho que você não vai gostar do que ela vai fazer.
– Por que?
– Ela vai fazer polenta.
– Mas eu gosto de polenta! Eu não gostava de polenta quando era pequena, por causa do alho.
– HÃ? POR CAUSA DOS VEADOS?

Às vezes eu queria entrar dentro da cabeça da minha mãe para entender como funciona. Que tipo de diálogo paralelo ela desenvolve, porque né… ♥

Hoje estava com vonts de comer um sanduíche. Mas nada desses muito normais, um que fosse ao forno. Lembrei do croque monsieur do qual sempre tive vontade de experimentar, entretanto, neste bairro onde resido, não há de muito fácil acesso alguns ingredientes como, por exemplo, o queijo gruyere. Resolvi adaptar com o que tinha a mão, e ficou bom. NA TELA:

Ingredientes:

– Pão de fôrma
– 4 ovos
– 1/2 pote de requeijão
– presunto
– queijo
– parmesão ralado

Modo de Fazer:

Primeiramente você faz um caldo misturando os ovos com o requeijão. Coloque as fatias de pão de fôrma em um refratário (que vá ao forno). Regue essas fatias com um pouco do caldo. Distribua o presunto e o queijo em cima do pão. Feche o sanduíche e regue com mais um pouco do caldo. Salpique queijo parmesão em cima e leve ao forno (em uma temperatura de 220º mais ou menos) e deixe até dourar. DICA: Não tenha medo de colocar muito caldo, vai na fé!

Rendeu 11 lanchinhos.

Matou minha fome e, provavelmente, minha vontade de experimentar croque monsieur. É fácil de fazer, quem sabe da próxima vez eu faça com os ingredientes certos.  Se quiser saber da receita verdadeira vai no blog do lindo Olivier Anquier. Bon Appétit :)